☆ Diario de Bordo: Welcome to Tel Aviv! ☆

Todos estavam quebrados na emenda! Dezoito horas de voo foram mais que suficientes para fazer com que víssemos cama em todas as direções que olhássemos, mas deixar o Brasil para passar o tempo dormindo em Israel, não parecia uma boa escolha, pelo menos não para mim. Horas de sono tinham que ser mínimas, afinal, não era todo dia que tinha a chance de esquecer que era pobre, então… tinha que aproveitar…

Depois de toda a agonia das malas extraviadas ter sido resolvida, pegamos o ônibus e fomos levado ao hotel, que seria a nossa casa por aquela noite. Fomos recebidos por Ilana, uma judia brasileira muito simpática, responsável por toda parte burocrática da nossa viagem. Essa é a parte boa de viajar por agencia de turismo: não temos que nos preocupar com nada, tudo estará sempre pronto a nossa espera. Quer dizer, nem sempre né, mas posso dizer que dessa vez tudo ocorreu como esperado.

Do aeroporto de Ben Gurion até o hotel encontrei uma Tel Aviv não muito diferente da que havia encontrado outras vezes atrás, pra ser sincera nem deu pra perceber bem que estávamos em outro país, tudo era tão familiar, se não fosse os outdoors com letras hebraicas, eu poderia jurar que estava em alguma cidade brasileira. Chegamos no dia que aconteceria um determinado evento na cidade, as bandeiras coloridas ao longo das avenidas indicavam que a modernidade estava muito além do que pudessemos imaginar, detalhe meio estranho para um local tão tradicional e acima de tudo conhecido mundialmente como “Terra Santa”. Já sabia que não encontraria tanta tradição em Tel Aviv, mas confesso que não esperei encontrar tamanha modernidade. O clima também me surpreendeu, as previsões meteorológicas diziam que a temperatura mínima era alem do que meu corpo poderia aguentar, então preferí pecar pelo excesso, e fui preparada para chegar ao Polo Norte, chegando lá… a realidade não tinha, nem de longe, alguma coisa a ver com o que a meteorologia dizia, em outras palavras: metade da minha bagagem foi peso desnecessario!

Chegamos no finalzinho da tarde e tivemos o restante do dia livre, nosso roteiro em grupo só começaria na manhã do dia seguinte… Aproveitei aquele tempinho livre que fora me dado e fui desfrutar dos ares da moderna Tel Aviv. Sabe algo curioso? Ainda encontrar alguns timidos raios de sol as quase nove horas da noite. O hotel ficava próximo a uma avenida que só me lembrava Boa Viagem, a única coisa que me dava a certeza que eu não estava lá, era os sons da fonética hebraica, espalhados por todo o ar, mas ainda assim a ficha ainda não havia caído, a mente não tinha conseguido assimilar a essencia de toda a realidade…

Da pra acreditar que isso aqui foi as nove da noite?!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s