Arquivo da categoria: Relacionamentos

Sexo: Antes ou depois do casamento?


E daí que essa semana eu estava ‘facebookeando’ quando dou de cara com um determinado comentário sobre sexo, nele o autor dizia que o mesmo deveria ser deixado para o casamento…

Esperar é legal sim, mas fico aqui pensando com meus botões algumas situações… O casal namora há uns dois anos, eles se amam, há respeito até demais no relacionamento, eles sabem o que querem, mas vamos combinar que casamento é muito mais que uma certidão assinada, casamento é conta de água, luz, gás, telefone, internet, feira mensal, quinzenal ou semanal, casamento é também filhos que por sua vez trazem outras despesas que prefiro nem enumerar aqui… Aí suponhamos que hoje esse casal não tem condição financeira de arcar com as responsabilidades de um casamento, eles estão dando duro pra isso e daqui mais uns cinco anos a vida já estará mais ou menos organizada e daí eles poderão pensar em casar. E aí, vão passar sete anos só de beijos, abraços e boas conversas?!

Sexo é um detalhe que conta muito no casamento e se o casal não se entender nesse quesito, as chances do casamento ir de água abaixo são bem grandes, mas como que o casal de namorados vai saber se os estilos sexuais são compatíveis? Imagina que um é bem ativo, gosta de intensidade e criatividade, e já o outro é mais devagar e tradicional… Descobrir esse detalhe depois de assinar a certidão de casamento não me parece muito romântico.

Não defendo a ideia do sexo sem compromisso, quero deixar isso bem claro aqui, há casos e CASOS.É legal quando há um equilíbrio, as vezes a gente deixa de ter uma qualidade de vida simplesmente porque nos agarramos a certas ideias que em determinadas situações não acrescentam nada… Se Maria e José decidiram esperar e deixar o sexo pro casamento, tudo bem, é direito deles, mas se no relacionamento há amor em seu essencial sentido, a certidão de casamento é apenas um detalhe, uma formalidade que em nada vai alterar o respeito e compromisso que um tem pelo outro.

O nosso melhor tem que ser dado a quem o saberá valorizar


Com o tempo a gente aprende que não vale a pena dispor 100% da nossa atenção a todos ao nosso redor. Por mais que a gente faça para os outros, mas pra algumas pessoas o nosso esforço não significa nada. Não adianta esperar consideração de quem não a tem, ao inves de gastar nosso tempo precioso na dedicão a quem jamais dará o devido valor, é melhor duplicar, triplicar, quadruplicar a atenção àquelas pessoas que realmente sabem o real sentido da palavra amizade.

Aproveitando a oportunidade, quero agradecer  todo o carinho sincero  dos meus amigos, os de verdade. Quanto aos supostos… que pena, agora terão que fazer por merecer…

Porque nem sempre da pra ser mulher maravilha…



“Fulana era tão bonita, pele limpa. Agora tá gorda, bagunçada… Ai que saudade daqueles tempos”

Esse foi o comentario do marido ao olhar para uma foto de quinze anos atrás da sua esposa. Nas entrelinhas havia uma decepção sem fim, afinal, a esposa tinha a obrigação de manter a mesma aparência daquele passado distante, não importando os motivos que a levaram a situação atual. Sabe o mais engraçado? A situação atual nem é tão grave quanto o peso da descrição do marido…

Não, não basta ser mulher, tem que ser uma super mulher pra poder servir pra alguma coisa. A mulher tem que ser esposa, dona de casa, mãe, profissional, terapeuta e ainda arrumar meios pra manter o corpo perfeito,  e tudo isso com uma perfeição milemétrica, caso contrário não servirá pra muita coisa. Legal né?!

O marido insatisfeito reclamava porque hoje a esposa nao tem a aparência de 15 anos atrás, aí eu fico aqui pensando comigo se ele não compreende todas as mudanças hormonais que a mulher sofre ao longo do tempo, principalmente depois de uma gravidez, isso sem contar com outras mudanças que só ela deve saber (ou não!)…

Sinceridade?! Cada vez que me deparo com um cara desses, agradeço a Deus pela minha “solteirisse”! Claro que não são todos os homens assim, mas infelizmente esse faz parte da maioria…

A esposa do meu amigo


E o que dizer daquele amigo super gente boa mas que tem uma namorada, esposa (ou algo do gênero) insuportável?!

Dia desses lá estava eu em determinado local quando de longe vejo um certo amigo “X” se aproximando, ao chegar perto, coloquei o sorriso amarrado na nuca e cumprimentei o amigo, que deu um sorriso amarelo, acenou e foi embora. Fiquei com cara de paisagem e sem entender nada, afinal somos amigos próximos e não conhecidos de fila de banco. Fiquei então pensando cá com meus botões se por acaso eu tinha feito alguma coisa errada pra fazer com que ele me ignorasse, não achei nada nos meus arquivos, mas tudo bem, a vida continua e não é bom perder tempo com certas coisas inexplicáveis…

Posteriormente encontrei com “Y” que também é amigo de “X” e comentei o que havia acontecido, ele ficou com a mesma cara de paisagem e dias depois perguntou pra “X” porque ele tinha agido daquela forma. A resposta? “Ahh eu estava com Fulana, não podia fazer muita festa né… “Ahhh tá, entendí… A Fulana era esposa dele, mas pera aí… eu não estou tendo caso com ele, a nossa amizade sempre foi de extremo respeito, então porque todo esse serviço secreto em relação a esposa dele?!

Tenho que dar o braço a torcer e colocar “o falecido” em um altar, que apesar de ser árabe, viver a vida inteirinha em uma cultura onde não existe amizade entre homem e mulher, nunca veio pro meu lado com essas crises de ciume agudo, eu sempre pude ser eu mesma com meus amigos, estando com ele por perto ou não, e olhe que tenho uns amigos chicletes que beijam, abraçam, se penduram no pescoço, mas nem mesmo com esses amigos ele fazia cena… Viva o falecido!!!

Até entendo o ciume de certas namoradas/esposas que tem que lidar com o namorado/marido metido a Don Juan, obviamente que o mínimo contato com o sexo oposto já é motivo pra alerta máximo, mas ao que me parece não é o caso de “X”, que muito pelo contrário sempre se mostrou uma pessoa de extremo respeito. Difícil viu, muito difícil! Eu não teria a mínima paciência pra lidar com um tipo de relacionamento assim, se não dá pra me aceitar como sou com meus amigos, melhor fazer o caminho de volta, uma amizade verdadeira vale tanto quanto um relacionamento amoroso. A questão é que algumas pessoas se deixam ser manipuladas né, aí é outro departamento…

 

Poligamia: Você aceitaria que seu marido tivesse outra esposa?


Agora pouco eu estava assistindo o SuperPop, hoje o debate foi sobre a poligamia. Para defender o assunto, lá estavam os dois convidados de Luciana Gimenez: um tal de Mr.Catra, que parece não saber nada daquela regrinha que diz que o direito de um começa onde o do outro termina e um cantor chamado Sandro Silva, que me pareceu bem equilibrado e muito educado.

E ao lado lá estavam as três esposas do Sandro Silva em uma harmonia de fazer inveja a qualquer amizade de infância, e segundo elas, a vida segue normal e tudo em plena harmonia, e o “engraçado” é que elas moram na mesma casa, fazem as refeições juntas, dividem as tarefas domésticas…

Bom, frente a uma situação dessas, a gente já entra no automático e logo dizemos que não aceitaríamos dividir o marido nem com a sombra, é como se pudéssemos ter o controle dos passos do camarada em nossas mãos. Agora pensa comigo: quantas mulheres por aí apostam os dois dentinhos da frente que o marido, namorado, namorido, como queiram… é propriedade exclusiva, mas na prática a coisa é bem mais comunitária do que ela pode imaginar?!

Não é que eu defenda a poligamia, mas vamos ser bem realistas? É um tanto quanto dificil encontrar um homem 100% fiel, e entre o cara ter uma amante e ter uma segunda esposa, a última opção é menos dolorosa e mais segura. Claro que pra nossa cabeça é tudo inadimissível, é até uma questão cultural, de repente a gente até “aceita” com mais naturalidade que o camarada dê uns pulos fora do que ela assumir um segundo casamento simultaneo…

E vocês aí mulherada, aceitariam uma outra esposa pro marido de vocês?

E quando o trabalho vem acima de tudo?!


Tem coisa melhor do que namorar?! Ver borboletas coloridas voando pela atmosfera, sentir o coração descompassado cada vez que o celular toca e pelo toque você já saber quem está do outro lado da linha, pensar em alguém com carinho e o melhor de tudo, saber que em algum lugar nesse universo esse alguém te devolve o mesmo pensamento. Bom demais, não é não?!

E quando está junto?! Ahhh quando está junto o mundo para, tem coisa melhor do que olhar nos olhos, dar aquele abraço bem apertado, sentir as batidas do coração, compartilhar a vida, das coisas mais serias as mais bobas… é tudibom!

É, mas nem tudo é flores ou mar de rosas, pra algumas pessoas, outras áreas da vida estão em primeiro lugar, não que para elas o namoro seja menos importante, mas as vezes ele acaba ficando condicionado a essas outras áreas. Quer um exemplo? Há pessoas que são tão escravas do trabalho que a vida delas gira em torno de sua agenda profissional ou então de ligações inesperadas em momentos inconvenientes, e não importa se é domingo, feriado ou dia santo, afinal, trabalho é trabalho, responsabilidade é responsabilidade…

Obvio que a outra parte não ficará nada feliz em adiar um encontro ou interromper a magia de um abraço apaixonado,  e aí… como fazer o worhaholic entender que o trabalho pode ficar pra depois e ele não vai morrer ou ser demitido por isso?! Alguém tem alguma sugestão?

Amizades que se acabam depois da subida ao altar…


Pelas minhas andanças virtuais nessa blogosfera, encontrei um espaço muito legal chamado “Depois dos 25” e hoje quero compartilhar um texto desse blog  com vocês. O texto é muito interessante e bem escrito, também puderas né, a dona do blog é uma jornalista…

Então, o título do texto é “E as amigas, como vão” e trata daquelas amigas que se afastam das outras depois que casam. E a autora do texto fala uma grande verdade:  as vezes esse pode ser um caminho sem volta. E aqui não estou falando de colegas não, mas amigas mesmo, daquelas de infância que a gente compartilha todas as etapas da nossa vida…

Alguém por aí já passou por uma experiência dessas?! Eu já e garanto que não é das melhores. “Perdí” uma amiga de infância que se afastou completamente depois da vida de casada e é um caminho sem volta mesmo, uma vez distantes, não há como voltar pro mesmo ponto de partida, quer dizer, pelo menos eu não consegui chegar a esse nivel, se alguém aí consegue, meus parabéns! Uma vez perdido o encanto, eu não consigo nunca mais tê-lo de volta…

Reconheço que vida a dois exige muito mais de cada um do que a vida de solteiro, e quando vem os filhos então, 24 horas passa a ser muito pouco tempo pra deixar o dia em ordens, mas vamos combinar que viver dentro de um mundo particular não é uma boa escolha, família é extremamente importante, mas no final de tudo, a vida não resume-se só a ela, precisamos também de uma boa amizade com o mundo lá fora para viver melhor…

 

Você casaria com alguém com menos estudo que você?


Passando por este blog , encontrei um texto que me chamou atenção. A autora comentava sobre uma determinada pessoa que havia casado com um cara cujo grau de instrução era bem inferior ao dela: ela é pós graduada e ele tem apenas o 1º grau, daí vem a pergunta: “Você casaria com alguém com menos estudo que você?”

Bom, casamento é algo complicadíssimo de lidar, é preciso muito mais do que a famosa química, pra que as coisas deem certo. Obvio que a parte sexual da questão conta muito, mas não sei até que ponto continuaria contando no caso do casal não ter condições de trocar ideias e experiências em um mesmo nível.

O estudo abre a mente do ser humano para novas ideias, faz com que novos horizontes sejam descobertos, e as descobertas são sempre tão fantásticas que é quase que impossível viver em limites. O amor é lindo e a vida é cor de rosa, mas uma vez que descobrimos a imensidão desse mundo, é complicado aceitar viver dentro de uma bolha. Se é dificil manter uma amizade sólida com quem não fala a mesma língua, imagina manter um casamento…

Por outro lado, nem sempre diplomas e aneis nos dedos são sinônimos de intelecto elevado e boa vida financeira garantida. Há pessoas que não tem o grau de instrução esperado pela sociedade, mas tem uma experiência de vida que coloca qualquer doutor no bolso. São pessoas que podem até não ter diploma, mas estão sempre antenados com o que acontece no mundo e de uma forma ou de outra tentam manter-se atualizados, e acreditem, alguns conseguem levar uma vida mais confortável do que muito diplomado por aí.

Nível acadêmico é importante, e deve ser levado em consideração antes de juntar as escovas de dente, mas na prática o que conta é o intelecto que ao meu ver, independe dos anos passados em sala de aula…

Ex amigos


Essa semana lí a seguinte frase no Twitter:

Eu jurava que algumas pessoas seriam meus melhores amigos a vida toda, mas hoje em dia somos completos estranhos.”

Eu pensei que eu era a única pessoa nesse mundo a ter tido esse tipo de sentimento, mas pelo número de pessoas que retuitaram essa frase, a questão parece ser bem mais comum do posso imaginar.

Eu tenho alguns amigos que hoje são completamente estranhos pra mim, tão estranhos que a presença deles me deixa constrangida, inconfortável. Não tenho mais assunto para compartilhar com eles, e os encontros que antigamente costumavam ser desejados, hoje passaram a ser evitados.

Houve até uma época em que eu passei a não mais acreditar nessa coisa de amizade verdadeira, é claro que não devemos julgar o todo por uma parte, mas a minha lista de ex amigos foi ficando tão grande que passei a acreditar que amizade só existia até quando houvesse vantagens entre os amigos, justamente porque esses grandes “amigos” que eu tive se afastaram justamente quando não precisavam mais de mim .

Não estou falando de colegas, mas de amigos, aquelas pessoas com quem costumamos dividir as áreas mais secretas das nossas vidas, aquelas pessoas que primeiro vem a nossa mente quando algo importante nos acontece, aquelas pessoas que nos da segurança quando o medo invade nossa casa… É difícil entender como que hoje uma determinada pessoa é nossa amiga e amanhã ela passa a ser um colega distante, e o pior, quando isso acontece sem uma causa justa.

Hoje em dia procuro apenas ter bons amigos e quando por acaso algum consegue chegar ao nivel de melhor amigo, faço questão de manter um pé atrás, ter em mente que um dia tudo aquilo pode acabar, e como aconteceu com os outros “melhores amigos”, podemos ser completos estranhos. Desconfiança?! Não sei ao certo, mas depois de ter minha confiança e consideração jogados fora por alguns “amigos”, já não consigo entrar com os dois pés em uma amizade mais próxima…

Casar de novo…


Quando eu era solteira, o meu grande sonho era casar, depois que casei, o meu grande sonho era ser solteira outra vez… Conseguí!

Casamento em sí é algo muito bom, o problema está na pessoa com quem tentaremos colocar as teorias em prática. Ninguém vem com certificado de garantia, e a única opção que fica é a de arriscar. Pra quem fez a escolha correta, resta agradecer a Deus todos os dias e pra quem não fez, como eu, resta virar a página e pensar se vale a pena escrever tudo de novo. Bom, até agora não achei ninguém que me desse tal inspiração…

Um amigo meu comentou que casaria todos os dias se fosse preciso… Não sei se ele continuaria com a mesma opinião caso ele se separasse todos os dias. Essa coisa de separação desgasta demais, a menos que tudo seja feito da forma mais amigável possível. Vocês conhecem algum ex casal que terminaram tudo como grandes amigos?! Me apresenta?! Preciso conhecê-los!

Quando o assunto é casar novamente, confesso que hoje eu penso zilhões de vezes. Não tomando por base unicamente a minha experiência, mas levando em consideraçao a experiência da maioria também. Agora vamos combinar uma coisa, tem algo melhor do que você ser solteiro, não ter que dar satisfação a ninguém, sair e chegar na hora que bem entender…

Sinceramente?! Estou apaixonada pela minha volta a vida de solteira. Pode ser que apareça alguém que valha a pena e que me faça mudar de opinião, mas por enquanto, casamento é um plano que não faz parte da minha vida.